Período Pós-operatório - Grupo Surgical
Período Pré-operatório
27 de março de 2017

Período Pós-operatório

O procedimento operatório traz uma série de consequências e reações fisiológicas ao organismo. A intensidade destas reações depende de variadas determinantes como a idade do paciente, cirurgia realizada, tempo cirúrgico, doenças associadas e resposta biológica ao estímulo operatório.

A reintrodução da dieta no período pós-operatório depende do tipo de cirurgia realizada. Desde que não tenha sido realizado procedimento envolvendo o trato gastro-intestinal, a dieta leve pode ser iniciada assim que o paciente estiver acordado e recuperado da anestesia. Inicia-se com dieta leve pois o paciente pode eventualmente apresentar náuseas (enjoo) nesta fase de recuperação. Após a alta, habitualmente não há restrições alimentares, à depender do caso e cirurgia pela qual foi submetido.

Na grande maioria dos casos, na fase pós-operatória não são necessários a realização de exames complementares. Os exames são indicados de acordo com o porte cirúrgico e doenças associadas.

Para nossos pacientes, nos preocupamos muito com o bem estar e um pós-operatório tranquilo e por esta razão seguimos os guias do Projeto ACERTO (Programa de Aceleração da Recuperação Total Pós-Operatória). De forma rotineira mantemos analgesia (medicamentos para dor) de forma contínua por um mínimo de 48 horas após a cirurgia, podendo ser utilizados analgésicos simples (como dipirona ou paracetamol) associados a anti-inflamatório não-esteróidais conforme indicação caso a caso. Para minimizar as náuseas e vômitos, os antieméticos (metoclopramida ou dramim) são também utilizados de forma regular no primeiro dia pós-operatório.

O uso de antibióticos é restrito e depende do tipo de procedimento realizado, podendo ser prescrito na indução anestésica, permanecer por até 24 horas ou de forma regular dependente do tratamento indicado.

O repouso absoluto não é indicado pelo contrário, esta medida pode acarretar em complicações. A deambulação precoce (com auxilio, quando necessário) é recomentanda logo após terminado o efeito anestésico, a fim de evitar trombose venosa e mobilizar as secreções pulmonares, exceto quando houver determinação contraria do seu médico. Atividades físicas mais intensas devem ser evitadas por algumas semanas, dependendo da cirurgia realizada.

Para aquelas cirurgias com incisões abdominais grandes pode ser necessário o uso de cinta elástica pós-cirúrgicas, afim de auxiliar na prevenção de formação de hérnias incisionais ou deiscências (abertura) dos pontos (Figura 2).

Figura 2 – Uso da cinta abdominal pós-cirúrgica

Figura 2 – Uso da cinta abdominal pós-cirúrgica

Os cuidados e higiene da ferida operatória são orientados caso a caso, contudo de forma geral orientamos lavagem com água e sabonetes antissépticos neutros, com curativo com gaze secas nos primeiros dias, período em que pode sair alguma secreção sero-hemática (tipo “água de carne”). O uso de solução de álcool 70% também auxilia bastante na prevenção local de infeção e recuperação da ferida. Após a ferida consolidar, a cicatriz pode ser deixada exposta sem a necessidade de nenhum curativo. Não é necessário uso de nenhuma pomada ou creme na incisão, exceto nas cirurgias orificiais ou casos especiais. Nas primeiras semanas devem ser evitados a exposição da ferida à luz do Sol e raios UV-A e UV-B, afim de evitar alterações de pigmentação da pele em processo de recuperação. Os pontos, quando necessário, são retirados no retorno pós-operatório após 7 a 14 dias, dependendo do tipo de incisão realizada.

Em caso de outras dúvidas, seu cirurgião deve ser procurado precocemente, ou se tratando de urgência, orientamos que procure o Pronto Socorro do hospital em que se deu o procedimento.

Clique aqui para acessar o Guia Pré-operatório do Grupo Surgical em parceria com o Projeto Acerto.

Fonte:

  1. IGLESIAS, AC. Cuidados Pré-operatórios e Risco Cirúrgico. In: PETROIANU A. Clínica Cirúrgica do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, São Paulo, Ed Atheneu. 2010. P 63-92.
  2. HENRY, MACA e CATANEO, DC. Pós-operatório. In: PETROIANU A. Clínica Cirúrgica do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, São Paulo, Ed Atheneu. 2010. P 93-108.
  3. Projeto ACERTO; http://www.periop.com.br/condutas-acerto, Março, 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido