Doente Crítico - Grupo Surgical

Conheça sobre

Doente Crítico

A cirurgia de urgência e emergência é uma área de atuação em evolução no mundo e em recente assimilação no cenário brasileiro. Com três componentes essenciais: cirurgia do trauma, cirurgia de urgência e emergência e cuidados críticos, o Grupo Surgical, busca excelência no atendimento de seus pacientes que se encaixam nesta necessidade, e atualmente é composto por médicos com formação voltada para o manejo diário de doentes crítico, vítimas de trauma ou em situação de urgência ou emergência cirúrgica.

Durante pesquisa realizada no inicio da última década em hospitais norte-americanos com perfil de atendimento e cuidados críticos cirúrgicos, ficou claro que cirurgiões de trauma e cuidados intensivos tornavam-se cada vez mais responsáveis pelos cuidados cirúrgicos de emergência. Esta emergente responsabilidade foi resultado da crescente necessidade de atender casos de trauma com consequente cobertura cirúrgica de emergência em hospitais acadêmicos e comunitários.

Houve uma lacuna educacional identificada como “Trauma and Acute Care Surgery”, onde a área de atuação surgiu. Líderes em trauma e cirurgia de urgência desenvolveram metas educacionais e incentivaram um currículo formalizado para programas de treinamento afim de atender a esta lacuna educacional. Uma das maiores associações que estudam trauma - a American Association for the Surgery of Trauma, ou AAST - assumiu a liderança na revisão de programas que decidiram prosseguir este currículo direcionado para esta demanda emergente. Estes programas aprovados passam por uma rigorosa revisão para garantir que cada profissional em treinamento atenda aos objetivos de sua formação especializada.

Como o cenário das emergências do Brasil ainda é bastante complexo e incipiente, alguns centros vêm buscando formar os profissionais com foco na urgência e emergência. Campinas tem destaque nesse cenário, sendo um centro formador de cirurgiões do trauma dentro da Universidade Estadual de Campinas.

Sob supervisão do Prof. Dr. Bruno M Pereira, professor assistente da Disciplina de Cirurgia do Trauma da UNICAMP, o Grupo Surgical buscou agregar jovens, experientes e atualizados cirurgiões que buscaram dentro do cenário da Cirurgia do Trauma, essa formação com um intenso programa de residência médica/fellowship apoiado em longo treinamento cirúrgico e profundo acompanhamento de pacientes críticos, seja em uma sala de emergência ou uma unidade de terapia intensiva.

 

Cirurgia de Emergência

O Grupo Surgical busca prover oportunamente avaliação cirúrgica e tratamento adequado e moderno ao paciente em condição cirúrgica aguda. Focamos nosso cuidado em uma abordagem baseada em evidências contemporâneas utilizando caminhos de cuidados e diretrizes de gerenciamento de prática.

São condições que caracterizam processos agudos e de urgência ou emergência:

  • Colecistite
  • Tumores obstrutivos e / ou perfuração intestinal
  • Apendicite
  • Colite/ Diverticulite
  • Hernias da parede abdominal (encarceradas ou estranguladas)
  • Infecções dos tecidos e partes moles como abscessos
  • Doenças hemorroidárias (trombose)
  • Ulceras perfuradas (gástricas ou duodenais)
  • Torções do intestino ou hérnias internas
 

Cirurgia do Trauma

Na cirurgia do trauma o Grupo Surgical busca proporcionar avaliação e tratamento operatório ou não-operatório ao paciente vítima de trauma do pescoço, tórax, abdome ou pelve.

Utilizando diretrizes atualizadas e envolvidos na produção de novos guidelines mundiais, nosso objetivo é oferecer a mais alta qualidade de atendimento. Condições que tratamos:

  • Acidentes com veículos automotores ou qualquer modelo de transporte
  • Lesões traumáticas de qualquer natureza não ortopédicas ou neurocirúrgicas
  • Lesões de órgãos sólidos (Fígado, Baço ou Rim)
  • Todas as lesões penetrantes, como ferimentos com arma de fogo ou cortante
  • Todas as quedas relacionadas a síncope ou etiologias mecânicas
 

Cirurgia Cuidados Críticos

Objetivamos proporcionar a mais alta qualidade de atendimento a alguns dos pacientes mais críticos dentro do nosso sistema de saúde. Condições que tratamos:

  • Lesões sistêmicas complexas – paciente politraumatizado
  • Sepsis e infecções que ameaçam a vida
  • Cuidados pós-operatórios
  • Choque de diversas etiologias

Os benefícios potenciais desta abordagem concentrada e focalizada para cuidados cirúrgicos agudos são múltiplos e incluem o seguinte:

  • Agendamento previsível para cirurgiões voltados aos cuidados de urgência e emergência
  • A capacidade de concentrar a atenção inteiramente no trabalho "eletivo" de subespecialidade quando não está envolvido em um bloco de serviço cirúrgico agudo (e vice-versa)
  • Administração previsível de recursos, minimizando o tempo cirúrgico em beneficio da gravidade do paciente
  • Melhor acesso inicial ao paciente, bem como acompanhamento dos pacientes que receberam alta com urgências cirúrgicas
  • Potencialmente melhores cuidados aos pacientes

O Grupo Surgical permanece em constante atualização e capacitação afim de proporcionar aos nossos pacientes uma linha de cuidados completa desde à sua admissão no pronto-socorro passando por sua eventual internação em unidade de terapia intensiva até a alta hospitalar.

Referências:

  1. Green, SM: Trauma Surgery: Discipline in Crisis. Ann of Emerg Med 53: 198-207, 2009.
  2. Sheldon, SF: Access to Care and the Surgeon Shortage. Ann Surgery 252 (4): 582-590, 2010.
  3. Napolitano, LM, Fulda, GJ, Davis, KA, Ashley, DW, et al. Challenging Issues in Surgical Critical Care, Trauma, and Acute Care Surgery: A Report from the Critical Care Committee of the American Association for the Surgery of Trauma. J Trauma 69(6): 1619-1633, 2010.
  4. Institute of Medicine of the National Academies. Hospital-based emergency care at the breaking point. Washington (DC): The National Academy Press; 2007.
  5. Richardson JD, Miller FB. Is there an ideal model for training the trauma surgeons of the future. J Trauma. 2003;54:795–7.
  6. Esposito TJ, Rotondo M, Barrie PS, et al. Making a case for a paradigm shift in trauma surgery. J Am Coll Surg. 2006;202:655–7.
  7. Moore EE. Acute care surgery: the safety net hospital model. Surgery. 2007;141:297–8.
  8. Committee to Develop the Reorganized Specialty of Trauma Surgical Critical Care and Emergency Surgery. Acute care surgery: trauma, critical care, and emergency surgery. J Trauma. 2005;58:614–6.
  9. Jurkovich GJ. Training in trauma and emergency surgery. Am Surg. 2007;73:157–60.
  10. Chad, GB, et. al. Acute care surgery: a new strategy for the general surgery patients left behind. Can J Surg. 2010 Apr; 53(2): 84–85.
error: Conteúdo protegido