Cisto Pilonidal - Grupo Surgical

Conheça sobre

Cisto Pilonidal

Introdução

O cisto pilonidal é uma inflamação que ocorre na pele e tecido subcutâneo no sulco Interglúteo.

Sua causa ainda é controversa, mas atualmente a teoria adquirida é a mais aceita. Acredita-se que com o aumento dos hormônios sexuais na puberdade, há uma série de alterações nas glândulas sebáceas locais, associadas à microtraumas e à foliculite, resultando na formação do abscesso pilonidal. É mais comum entre adolescentes e adultos jovens com excesso de pelos, sendo que em 80% dos casos ocorrem no sexo masculino, raros na raça negra.

 

Manifestações clínicas

Normalmente a lesão não tem sintomas até que se torne infectada. O diagnóstico é através do encontro de um ou mais orifícios pequenos na linha mediana da região sacrococcígea entre 3,5 a 5 cm da região anal. Pode ser encontrado um aglomerado de pelos se pronunciando por esse orifício.

Os primeiros sintomas costumam ocorrem com a infecção desse cisto, resultando num abscesso, com dor, calor e rubor (inchaço quente e vermelho local). Essa secreção purulenta pode drenar por esse orifício original ou pode drenar através de outro orifício formado por necessidade próximo a essa região, geralmente num nível mais alto (figura 1).

 

Tratamento

O tratamento depende da fase em que se encontra. Na fase de abscesso com infecção local, deve ser realizado a drenagem dessa secreção purulenta, com tratamento domiciliar com antibioticoterapia oral, analgésicos e anti-inflamatórios.

Na fase crônica, o tratamento é cirúrgico e eletivo em centro cirúrgico, com a ressecção completa desse cisto. A ferida operatória pode ser deixada aberta, aproximada as bordas (marsupializada) ou com fechamento total. Pelos menores índices de recidiva, o tratamento de escolha é a técnica aberta, em que a ferida irá se cicatrizar por segunda intenção (sozinha), com fechamento completo em torno de 8 semanas.

 

Complicações

As principais complicações são dor local, sangramentos e recidiva local do cisto, em menos de 10% dos casos.

 

Cuidados Pós-Operatórios

A alta hospitalar é realizada no mesmo dia ou no dia seguinte, dependendo do caso. É prescrito apenas analgésicos e anti-inflamatórios para casa, não sendo necessário uso rotineiro de antibióticos. Não há dietas especificas e também não é necessário repouso, desde que a dor seja um fator limitante a atividade.

A troca de curativo deve ser diária, podendo ser feito em casa. Devem ser usadas gazes e soro fisiológico para sua troca e limpeza. A tricotomia (retirada) dos pelos da região deve ser feita periodicamente.

Fonte

  1. S JH. Cisto Pilondal. In: COELHO JCU. Aparelho Digestivo – Clínica e Cirúrgica. São Paulo, Ed. Atheneu, 3º ed, 2006, P 1100-1109.
error: Conteúdo protegido